Pesquisar este blog

Carregando...

Evolução do Sistema de Detecção de Imagem na Mamografia

Mamografia Convencional, Mamografia Computadorizada (CR) e Mamografia Digital (DR)
1 - INTRODUÇÃO:
A mamografia é ainda hoje o melhor método de detecção precoce do câncer de mama. Nos últimos 20 anos, houve melhora significativa no modo de aquisição da imagem mamográfica através da combinação do sistema filme/écran de alto contraste, do uso de grades anti-difusoras, foco mais fino (0,1mm), que permite o uso da técnica de ampliação, assim como, também melhoria do processamento específico para mamografia. Do ponto de vista da mamografia convencional, não temos mais para onde evoluir. Como toda vida moderna caminha para a era digital, a mamografia, sem dúvida alguma, segue esta mesma trajetória, tão surpreendente como foi o inicio do desenvolvimento da mamografia analógica.

A mamografia digital em campo total é uma técnica radiológica de recente introdução no Brasil, sendo este o primeiro país da América Latina a iniciar o seu uso. A Clínica Radiológica Lucilo Maranhão introduziu esta tecnologia em caráter pioneiro em nosso País, em julho de 2000, cinco meses após sua aprovação pelo FDA, nos Estados Unidos. A mamografia digital em campo total, em um futuro próximo substituirá a mamografia analógica por suas vantagens clínicas, melhorando a detecção precoce e o diagnóstico radiológico do câncer de mama.

Vale salientar, diferenças distintas de tecnologia utilizada na mamografia computadorizada (CR – radiografia computadorizada) e na mamografia digital campo total (DR – radiografia digital).

Na mamografia digital, a imagem é obtida por raio-X em aparelho especialmente desenhado para este fim: o detector é individual para o equipamento e a imagem obtida é digital e não “escaneada”, como na radiografia computadorizada. Pode ser lida em monitor e impressa em filme. Permite incorporar novas tecnologias como a tomossíntese. O custo do equipamento é cerca de 3 a 4 vezes maior que a radiografia computadorizada.

Na mamografia computadorizada, a imagem é obtida em um aparelho de radiologia convencional e apenas o chassis tem tecnologia digital. Este chassis não tem filme, ele recebe a imagem obtida pelo raio-X convencional que depois é “escaneado” em um “scanner” apropriado, sendo então obtida uma imagem computadorizada, que pode ser lida em um monitor e impressa em filme. Pode ser utilizado para múltiplos equipamentos de radiologia em uma mesma clínica, sendo que sua qualidade depende da resolução da imagem. Para mamografia, é exigida uma alta resolução. Devido a seu múltiplo uso e por envolver tecnologia menos complexa, tem custo muito inferior ao da radiologia digital.

Estes dispositivos não deveriam ser apresentados como mamografia digital, apesar de que, na prática, vemos esse conceito erroneamente aplicado. Este sistema é mais adequadamente denominado de sistema CR (Computed Radiography ou Radiografia Computadorizada).

2 – LIMITAÇÕES DA MAMOGRAFIA ANALÓGICA:
Dentre as principais estão: reduzida amplitude dinâmica; vulnerabilidade à sub e superexposição; imutabilidade da imagem após o processamento, tal que qualquer esclarecimento demandaria uma nova exposição; a tríplice função do filme, ao qual compete obter, exibir e armazenar a imagem, impossibilitando a otimização independente de qualquer uma destas funções.

São ainda limitações da mamografia analógica o processamento lento e a possibilidade de introdução de artefatos, bem como a dificuldade para a padronização da qualidade da imagem em função de uma gama enorme de combinações filme/écran/processamento possíveis. Existe ainda a probabilidade de dano ou extravio do documento diagnóstico.
Estas e outras limitações da mamografia analógica tendem a ser superadas pela mamografia digital.
3 – LIMITAÇÕES DA MAMOGRAFIA COMPUTADORIZADA (SISTEMA CR):
Nas imagens computadorizadas, o brilho e o contraste da imagem podem ser alterados, podendo esta ser arquivada e submetida a pós-processamento digital, sem acrescer qualquer informação além daquelas contidas na imagem originalmente obtida por mamografia analógica, ou seja, o poder de ampliação é significativamente inferior ao da mamografia digital em campo total.

clique AQUI http://www.4shared.com/file/fxgD3rZz/Estudante_de_Tecnicas_de_Radio.html

E BAIXE TODO O CONTEÚDO DO ASSUNTO DA AULA DE "RESSONANCIA MAGNÉTICA"

Seja o primeiro a comentar

Postar um comentário

Arquivos

Whos

Webmaster

http://emanuelllcarvalho.blogspot.com/

Template by MamaNunes Templates.

Back TOP